Internet e Oportunidades: Profissão Youtuber

Internet e Oportunidades: Profissão Youtuber

A popularização da internet e de diversos gadgets é responsável por uma onda de “novas profissões” e oportunidades. Há poucos anos, a profissão blogueiro (a) emergiu de maneira estrondosa e desenfreada: muita gente tentou, a maioria não conseguiu, mas quem teve sorte, se deu bem. 
 
Paralelo aos blogs surgiram os vlogs, com a mesma premissa de diário, porém, no formato de vídeo. Assim como no blog, onde os blogueiros escreviam sobre seu dia a dia, suas escolhas, experiências, produziam postagens publieditoriais e mais um montão de coisas, no vlog, os vlogueiros fazem o mesmo só que em frente à câmera. Falar “diretamente” às pessoas dá a sensação de proximidade e intimidade – e é isso que a audiência gosta.
 
Neste contexto, a produção de conteúdo para a rede (que pode ser relevante para alguns e irrelevante para outros) aumentou significativamente. Centenas de pessoas, agora, ganham a vida assim – e algumas ganham muitíssimo bem. Para “enquadrar” essas pessoas, foi criado o conceito Generation C, que caracteriza uma geração definida pelo comportamento, não pela idade.
 
Criar um canal e poder disponibilizar todos os seus vídeos em um só lugar facilitou a vida de quem gosta de vlogar. Com o Youtube, a profissão “do momento” atingiu proporções incalculáveis. Ser “Youtuber” é a nova aspiração de quem não tem medo de dar a cara à tapa, é inteligente, produz conteúdo interessante e original. Eles mostram, sem medo, tudo o que têm de melhor, vislumbrando conquistar e fidelizar o público, e, claro, assinar contratos comerciais com o site de vídeos do Google. 
 
No Brasil, muita gente conquistou espaço na plataforma de vídeos e ganhou destaque com proporções nacionais e internacionais. O piauiense Whinderson Nunes teve o vídeo de maior destaque no país em 2016. O youtuber de 25 anos tem um canal com mais de 14 milhões de inscritos – ultrapassando o famoso “Porta dos Fundos”, que tem 12 milhões. 
 
Além dele, outras webcelebridades brasileiras fazem sucesso no Youtube. É o caso de Kéfera Buchmann, com mais de seis milhões de inscritos – a título de curiosidade, o canal oficial da cantora pop Britney Spears tem 3.2 milhões de inscritos.
 
PC Siqueira, Felipe Neto, Porta dos Fundos, Jout Jout, e muitos outros fazem parte da lista de youtubers que ganham a vida gravando vídeos, se expondo, opinando, editando...
 
De acordo com um levantamento feito pela revista Forbes, chefs, gamers, comediantes, entrevistadores e especialistas em beleza são os youtubers com canais mais rentáveis dos últimos anos. Eles ganharam um total de US$70 milhões (R$237 milhões) num período de 12 meses.